segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Madeira sustentável na Amazônia - Greenpeace Brasil

Madeira sustentável na Amazônia: é real e saiu do papel



Há quatro anos, uma lei que garante sistema de concessão pública de florestas para exploração de madeira de baixo impacto na Amazônia tornava-se letra. Há pouco mais de um mês, a letra finalmente saiu do papel.

Segundo nos informa o jornal Folha de S. Paulo, a Florestal Nacional do Jamari, em Rondônia, foi a primeira a ter uma árvore abatida pelo novo modelo – pioneiro no Brasil, de concessão, pelo qual madeireiras detém o direito de explorar a área por 40 anos respeitando regras do manejo chamado de baixo impacto – extração mínima e tempo para recuperação e crescimento das árvores. Em troca, as madeireiras pagam royalties de exploração ao governo.

Lentidão na justiça e falta de infra-estrutura para colocar em prática o sistema estão entre os fatores que tornaram o início do processo tão lento. Apesar da boa notícia, a história não pareceu de muita relevância para a candidata do governo Dilma Rousseff (PT), que em evento de lançamento de sua plataforma ambiental, ignorou o fato.

Será completa falta de conhecimento sobre o que acontece com a Amazônia?

Ler mais: http://www.myspace.com/maggiegrazi/blog?bID=540155035#ixzz13OPYQb4n