quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O SOL HÁ DE BRILHAR!!


As eólicas foram as grandes vitoriosas do último leilão de energia do governo, onde a energia solar sequer foi contemplada. Mas isto não significa um futuro negro para as forças radiosas do sol.

A notícia é que a fonte começará a receber incentivos para alavancar seu potencial, a começar pelo governo do Ceará, que acaba de criar um fundo para garatir a compra da energia e criar demanda para produtores de equipamentos virem para a região. Por dois anos, o governo cearense garante a compra da energia.
FONTE:: Greenpeace Brasil.

As projeções internacionais também são positivas. Os preços dos equipamentos deve cair pela metade nos próximos dois anos, equiparando o custo da solar-fotovoltaica ao de uma termelétrica à carvão, garante recém-lançado estudo da Bloomberg New Energy Finance.

A queda tem origem: a China. Graça ao aumento da produção chinesa, que tem forte mercado tanto para solar, quanto para eólica, a energia vem tendo ganho de escala em vários mercados mundiais.

O preço salgado da irresponsabilidade!!

Vem custando caro aos cofres da Indústria Nucleares do Brasil (INB) seguir em sua empreeitada perigosa de extração de urânio em Caetité (BA). Somado aos 600 mil reais de multa que pesaram sobre a empresa após episódio de transporte não autorizado de carregamento de urânio, a INB agora amarga outros dois milhões de reais pagos ao Ibama por irregularidades na operação e poluição em ambiente de trabalho.

Além da multa, o IBAMA embargou umas das áreas da indústria, onde são feitas atividades de precipitação, filtração, secagem e embalagem do urânio concentrado, que vai para o exterior para ser enriquecido e volta para o Brasil, onde é transformado no combustível das usinas de Angra I e II, no Rio de Janeiro.

O rol de punições incluíram ainda advertências, autuações e recomendações de outros órgãos estaduais de fiscalização. O castigo é pouco, perto da lista de irresponsabilidade acumuladas pela empresa. No caso do transporte de urânio, noventa toneladas de carga radioativa passearam de São Paulo à Bahia e terminaram estacionadas em uma delegacia de uma pequena cidade próxima à Caetité por cinco dias, expondo a população ao risco e às incertezas. A INB também está envolvida em uma série de denúncias de contaminação de água. FONTE:: Greenpeace Brasil
http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Blog/o-preo-salgado-da-irresponsabilidade/blog/36479/